Quinta-feira, 21 de Janeiro de 2021 (66) 98428-3004
informe o texto a ser procurado

Notícias / Brasil

29/06/2020 | 14:04

Municipalização do ITR e o indevido aumento do Valor da Terra Nua Tributável

AgroEmDia

Recentemente, a Receita Federal criou uma equipe especializada no Imposto Territorial Rural (ITR), com o objetivo de aumentar a arrecadação a partir do estímulo para que os municípios celebrem convênios com o órgão e, então, assumam a fiscalização e cobrança do imposto. Assim, as prefeituras passam a ficar com 100% do total arrecadado (atualmente, 50% do valor arrecadado fica com a União).

Enquanto se discute sobre a reforma tributária de caráter geral, ou mesmo uma reforma na legislação apenas do ITR, o mais provável que aconteça é uma modificação no âmbito da regulamentação administrativa do ITR.

E mesmo antes de qualquer nova regulamentação em âmbito federal, o que se tem verificado na prática é que cada município que assume a fiscalização e cobrança do ITR passa, por ato legislativo ou administrativo municipal, a rever o Valor da Terra Nua Tributável (VTNT) e, consequentemente, a impor uma nova base de cálculo aos proprietários rurais, bastante majorada.

Quase sempre, esta nova base de cálculo passa a corresponder ao valor de mercado do imóvel, o que implica em um significativo aumento de valor do ITR (em muitos casos, de mais de 100%).

Ocorre que, por força do disposto na legislação de regência, a base de cálculo do ITR é o Valor da Terra Nua Tributável (VTNT), e não o valor de mercado ou valor venal do imóvel.

E a determinação do VTNT não pode ocorrer de forma livre, a atender os interesses do município que passou a fiscalizar e arrecadar o ITR. Trata-se de questão que deve seguir as diretrizes determinadas sobretudo no art. 10 da Lei nº 9.393/1996, bem como as demais regulamentações de âmbito legal e infralegal incidentes.

Portanto, é de extrema necessidade que os contribuintes fiquem atentos a este movimento de “municipalização” do ITR e verifiquem se eventual aumento do valor da terra nua está sendo realizado pelo município de forma válida, legal e constitucional.

Do contrário, é possível recorrer ao Judiciário para afastar a majoração indevida do imposto e determinar o valor correto e justo de sua base de cálculo.

*Advogado do Escritório Kubaszwski Gama Associados

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Desenvolvido por Investing.com
Resumo Técnico fornecido por Investing.com Brasil.
 
Sitevip Internet