Terça-feira, 9 de Agosto de 2022 (66) 98428-3004
informe o texto a ser procurado

Notícias / Agronegócios

23/06/2022 | 12:11

‘Plano Safra com taxa de dois dígitos pode levar a crise forte no agro em 2022’, diz diretor da CNA

“A taxa bancária hoje varia entre 12% e 19%. São taxas muito altas, comparadas ao que a gente tem no Plano Safra vigente, que é de 3% a 7% no custeio

Canal Rural

‘Plano Safra com taxa de dois dígitos pode levar a crise forte no agro em 2022’, diz diretor da CNA

Foto: Repórter Agro

Em um ano atípico, com custos de produção elevados, Covid ainda como uma ameaça e uma guerra que tem causado inflação de alimentos em todo o mundo, é necessário que o Plano Safra seja mais robusto, tanto nas taxas de juro, quanto no volume de recursos ofertados. A opinião é do diretor técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Bruno Lucchi.

Ele acredita que são esses pontos, assim como a priorização de linhas de investimento e do seguro rural, que o Ministério da Agricultura deve priorizar no Plano Safra, previsto para ser lançado na próxima semana.

Taxa de juros de um dígito
Segundo Lucchi, a CNA tem enfatizado no debate com os formuladores da política de financiamento da safra — como os ministérios da Agricultura e da Economia e a Casa Civil — a importância de o plano oferecer taxas de juros de um dígito – ou seja, abaixo de 10% ao ano.

Na opinião do diretor da entidade, o produtor está acumulando hoje uma série de custos mais elevados. E pode haver uma crise mais forte no setor no próximo ano se o cenário for de taxas mais elevadas, de dois dígitos, também no Plano Safra.

“A taxa bancária hoje varia entre 12% e 19%. São taxas muito altas, comparadas ao que a gente tem no Plano Safra vigente, que é de 3% a 7% no custeio. Mais do mais do que nunca, esse plano é essencial para nortear a manutenção dos pacotes tecnológicos que a gente tem no campo”, afirma.

Espera pelo novo Plano Safra
O diretor da CNA não acredita que a demora no anúncio do plano poderá afetar o plantio da próxima safra de grãos. “Estivemos com o ministro [Marcos Montes, da Agricultura] nesta semana e pelo que ele sinalizou nós já vamos ter o lançamento provavelmente na próxima semana. Aí é questão de tempo para os bancos fazerem ajustes para iniciar [a concessão do crédito] em julho”.

Ele afirma que seria excelente para o setor produtivo já contar com os recursos a partir de 1º de julho. “Mas, se for para a gente conseguir uma negociação melhor, tanto em taxa de juros como em volume de recurso, que também é muito importante, acho que vale a pena aguardar”.

Segurança alimentar
Lucchi afirma que o formato de financiamento da produção adotado pelo governo brasileiro é o modelo mais eficaz para gerar maior oferta de produtos e garantir segurança alimentar para os brasileiros e para o mundo.

“Não é como os Estados Unidos têm feito, subsidiando fertilizante, plantando em área de pousio, e a Europa vai no mesmo sentido, regredindo em normas ambientais. A política mais efetiva é o Plano Safra, que gera ganhos não só para o Brasil, mas para toda a população”, diz.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Desenvolvido por Investing.com
Resumo Técnico fornecido por Investing.com Brasil.
 
Sitevip Internet