Sexta-feira, 19 de Julho de 2024 (66) 98428-3004
informe o texto a ser procurado

Notícias / Política

19/11/2023 | 22:42 - Atualizada em 20/11/2023 | 00:02

Bolsonaro utiliza redes sociais para parabenizar presidente eleito na Argentina

Redação Repórter Agro com Jovem Pan

Bolsonaro utiliza redes sociais para parabenizar presidente eleito na Argentina

Foto: Instagram/Jair Bolsonaro

O ex-presidente do Brasil Jair Messias Bolsonaro, usou suas redes sociais para parabenizar o novo presidente da Argentina nesta noite de domingo (19).

Na noite deste domingo (19), foi eleito o novo presidente da Argentina, O libertário Javier Milei (A Liberdade Avança) é o novo presidente da Argentina. O economista, que inicialmente apareceu como o favorito das eleições presidenciais por causa do resultado da PASO (Primárias Abertas Simultâneas e Obrigatórias), ficou em segundo lugar no primeiro turno e precisou correr atrás para conseguir angariar votos do centro para conseguir chegar à presidência. Os resultados oficiais não foram divulgados, mas Sergio Massa (União pela Pátria) anunciou a derrota e anunciou que já parabenizou o adversário por sua vitória, em ligação telefônica. Com 87% das urnas apuradas, o candidato de A Liberdade Avança alcançou 55% dos votos válidos contra 45% do representante peronista. A eleição, uma das mais importantes da história da Argentina e marcada pela polarização, foi bastante acirrada, com os dois candidatos disputando voto a voto. As pesquisas realizadas e divulgadas antes da eleição mostraram cenários contraditórios: ora com Milei na liderança, ora com Massa na frente. Os argentinos precisaram escolher entre a continuação do sistema político que há anos comanda o país e uma mudança radical que nunca foi testada.

Com a vitória deste domingo, o economista de 53 anos acaba com o governo peronista e promete uma Argentina diferente para a população, com propostas de governo bastante radicais. O anarcocapitalista, contudo, tem missões difíceis pela frente, sendo a principal delas a situação econômica da Argentina. Além disso, será necessário reconectar a população que, assim como em outras partes do mundo, ficou dividida e polarizada neste mais recente pleito. Na véspera da decisão, a inflação em 12 meses atingiu 142,7% em outubro, mês em que o aumento de preços foi de 8,3%, informou o Instituto Nacional de Estatística argentino. O resultado foi uma leve desaceleração em relação a agosto, quando o aumento foi de 12,7%.

O problema da inflação tem sido recorrente na Argentina, mas nos últimos dois anos o índice de preços ao consumidor (IPC) teve um forte aumento e está entre os mais altos do mundo. Internamente, o índice de inflação atual é um dos mais altos em três décadas. No país, que vigora desde 2019 um sistema de controle cambial, e o governo do presidente peronista Alberto Fernández promove acordos de preços com produtores e distribuidores na tentativa de reduzir os aumentos em setores como alimentos e combustíveis.Nas últimas semanas, Massa anunciou uma suspensão temporária da cobrança de impostos sobre os combustíveis, para limitar o aumento de preços e também para reativar o abastecimento, que foi afetada após o primeiro turno das eleições em 22 de outubro. A Argentina passou por dois períodos de hiperinflação, em 1989 e também em 1990.

Novo na política, Javier Milei conquistou um assento nas eleições legislativas de 2021, quando recebeu 17% dos votos na cidade de Buenos Aires. Agora, como chefe de Estado, tem como principais propostas de governo a eliminação do Banco Central e a dolarização da economia, além de permitir o livre porte de armas. Fernando Cerimedo, coordenador de campanha de Milei, resumiu parte de seu sucesso em uma receita simples. “Foi o único candidato que apresentou um projeto, que contornou o que fazer queria. Goste você ou não, foi o único a fazê-lo. O povo se cansou de tudo o que vinha acontecendo, das promessas não cumpridas”, disse. Para os especialistas ouvidos pelo site da Jovem Pan, a vitória de Milei representa uma mudança total de tudo que já foi visto no país e uma incerteza, uma vez que ele pretende inovar. Contudo, é importante que ele vá além do seu partido político, para conseguir maioria no Congresso, que é bastante fragmentado. Há, aqui, um paradoxo: para implementar suas propostas, o libertário de extrema direita precisará governar pela política, embora tenha sido eleito ecoando um discurso anti-establishment. Ele também vai precisar mudar sua postura em relação à forma como pretende lidar com as relações internacionais da Argentina. Ele declarou durante a campanha que não pretende ter relações com o Brasil e com a China, os maiores parceiros comerciais do país.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Desenvolvido por Investing.com
Resumo Técnico fornecido por Investing.com Brasil.
 
Sitevip Internet
Fale conosco via WhatsApp