Quarta-feira, 19 de Junho de 2024 (66) 98428-3004
informe o texto a ser procurado

Notícias / Economia

17/04/2024 | 11:52

Com mercado de olho no Fed e no risco fiscal brasileiro, dólar tem quinta alta seguida e ultrapassa R$ 5,26

Divisa americana teve um avanço de 1,61% nesta terça-feira, alcançando o maior valor desde março do ano passado; movimento foi impulsionado pela percepção de que os cortes de juros nos EUA podem ser limitados

Jovem Pan

Com mercado de olho no Fed e no risco fiscal brasileiro, dólar tem quinta alta seguida e ultrapassa R$ 5,26

Imagem Ilustrativa

Foto: Banco de Imagens

O dólar teve um avanço de 1,61% nesta terça-feira (16), encerrando o dia cotado a R$ 5,2688 e chegando a flertar com o nível de R$ 5,29 durante a manhã, atingindo uma máxima de R$ 5,2875. Esse foi o quinto dia consecutivo de valorização da moeda americana, acumulando um aumento de 5,21% no período e 8,56% no ano e chegando ao maior valor desde março de 2023. O movimento de alta foi impulsionado pela percepção crescente de que os cortes de juros nos Estados Unidos pelo Fed (Banco Central americano) podem ser limitados neste ano, o que levou a uma elevação das taxas dos Treasuries e impactou negativamente as moedas emergentes. Além disso, o real enfrenta um aumento da preocupação com o risco fiscal doméstico após anúncios que indicam mudanças nas metas de resultado primário.

Operadores observaram uma saída de recursos da Bolsa brasileira e um aumento na demanda por dólares por parte de estrangeiros no mercado futuro. O volume de negociações com contratos de dólar futuro para maio foi significativo, superando US$ 24 bilhões. Dados da B3 mostraram que investidores não residentes aumentaram suas posições compradas em derivativos cambiais em quase US$ 3 bilhões, atingindo cerca de US$ 69 bilhões. As tensões geopolíticas, especialmente no Oriente Médio, com possíveis conflitos entre Israel e Irã, também contribuíram para a busca por dólares como ativo seguro. No cenário internacional, o índice DXY, que mede a divisa americana em relação a seis moedas fortes, operou em leve alta e ultrapassou os 106,500 pontos ao longo do dia.

O real teve o segundo pior desempenho entre as moedas emergentes, sendo superado apenas pelo peso mexicano. Analistas apontam que o fortalecimento global do dólar ocorre em um momento em que investidores exigem maiores prêmios de risco para investir em ativos brasileiros, devido à deterioração do quadro fiscal. Em declarações durante reuniões do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial em Washington, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, destacou que o ambiente externo explica a maior parte do movimento dos ativos brasileiros, mencionando a incerteza relacionada ao Oriente Médio como um fator importante. Ele ressaltou a necessidade de uma melhor explicação sobre as contas públicas no Brasil. A alta do dólar também teve impacto no mercado interno, com o Ibovespa registrando a quinta sessão consecutiva de queda, refletindo a cautela dos investidores.

*Com informações do Estadão Conteúdo

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Desenvolvido por Investing.com
Resumo Técnico fornecido por Investing.com Brasil.
 
Sitevip Internet
Fale conosco via WhatsApp